pensamentos, desabafos, histórias de um esqueleto humano que por aqui vagueia...

Quinta-feira, 27 de Setembro de 2007

"Inutil domestico"

A maior parte das pessoas que conheço não gosta de ler os livros dela, eu admito já li três, e tenho que admitir que não é o meu género mas ri-me com a maneira dela escrever, é "light"...

Gosto das crónicas que ela escreve com sentido de humor e sempre que posso dou uma vista de olhos, esta foi uma dessas crónicas "Inútil Doméstico".

aquele tipo de marido que tem a mania que sabe de tudo um pouco, desde a melhor tábua para alguém engomar as suas camisas, passando pelo frigorífico que poupa mais energia. Até pode saber muitas coisas úteis, mas o território doméstico não pode nem deve ser gerido como uma empresa, sob o risco de se verem goradas as expectativas em relação aos objectivos.

Outro estilo doméstico igualmente irritante é o Inútil Doméstico, aquele que se especializa em não saber fazer absolutamente nada. Põe os pratos grandes no tabuleiro superior da máquina de lavar, deixa a roupa suja no chão, nunca muda o rolo do papel higiénico quando este acaba, acha uma seca ir despejar o lixo e não arrasta uma bilha de gás mesmo que veja a mulher a fazê-lo. Os Inúteis Domésticos foram, em geral, criados por uma mãe protectora que sempre lhes fez a cama, lhes arrumou a roupa depois de primorosamente lavada e passada a ferro e lhes pôs o almoço e o jantar na mesa.

Conheço um exemplar dessa espécie que há pouco tempo se encantou por uma estrangeira e a convidou para vir viver com ele. Ela, cautelosa, avançou para uma temporada à experiência que correu mal, porque, segundo ele, ela não sabia cozinhar e, segundo ela, o que ele queria era uma empregada de borla com serviços sexuais incluídos. Ela voltou ao país de origem e ele arranjou uma namorada local com as características pretendidas.

Imagino que sejam os três felizes para sempre, a estrangeira longe da mentalidade lusa que conta à partida com serviços domésticos incluídos numa relação, o Inútil que encontrou quem o assistisse e, por fim, a sua assistente, grata por agradar à pessoa amada. Felizmente , nem todos os homens seguem a lógica da publicidade enganosa.

Conheço exímios donos de casa, arrumados e organizados sem manias obsessivas, bons cozinheiros e melhores companheiros, já que se é verdade que se conquista um homem metade pela cozinha e a outra metade pela cama, com as mulheres não é assim tão diferente, a não ser que vivam obcecadas com dietas malucas.

Um bom marido é hoje muito mais do que alguém que paga as contas e assegura um bom nível de vida. Um bom marido é alguém que ajuda, que colabora, que faz parte da vida da família. Os marialvas que estão sempre no campo ou a dormir ou na farra com os amigos só servem para mulheres que nasceram com alma de empregadas domésticas.

[Margarida Rebelo Pinto, in "Sol"]

A culpa é sempre do mesmo: a mãe que teve, a permissiva sociedade, o haver mulheres desesperadas que aturam tudo, o machismo crónico!

publicado por bones às 14:53
sinto-me:

mais sobre mim

Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
15
16
20
22
23
29

pesquisar

 

arquivos

comentários recentes

  • Join the club...
  • és igual a mim pelo q dizes : Dadd: laurahulst@hot...
  • É um prazer fazer-te rir...
  • Ainda bem que gostas. Explora bem o Josh Groban po...
  • LOLEpá, dos melhores posts que li nos últimos temp...
  • E também te ajudo a ti, Pepita :) Beijoca, Joana
  • Se me pedires para por estrelinhas piscar é que nã...
  • Do mesmo mal me queixo eu, e então agora que deu a...
  • É de facto uma música espetacular com uma letra à ...
  • tambem esta bem...

mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro